Tecnologia do Blogger.

Archive for Abril 2010

"Eu e meus limites"


publicado por Vivi Tassi em

Sem comentários




Olá meninas...
Bom, é verdade que atualmente não tenho exercido minha profissão de psicóloga, mas é inevitável analisar fatos da vida sob essa óptica. Parece que o cérebro fica treinado!!kkk.
Não sou do tipo que analisa tudo e todos, mas tem coisas que as explicações só podem estar nas teorias da psicologia, psiquiatria, ou porque, ao encaixar em alguma teoria fica mais fácil aceitar alguns atos do ser humano! Um tema que sempre me agradou estudar, foi a relação entre família e desenvolvimento infantil, talvez esse interesse tenha surgido pelo trabalho que exercia, pois meu público era a família e também por acreditar na importância dessa relação para o desenvolvimento da criança. Não me considero uma especialista no tema, mas uma curiosa que aprendeu algumas coisas! 
Está cada vez mais evidente a cada notícia envolvendo adolescentes, crianças e até adultos, o quanto é importante ter uma base familiar para conviver em sociedade. Quando eu digo BASE FAMILAR, estou querendo dizer que o meio em que a criança vive é extremante importante para sua vida, pois é nos primeiros anos de vida, que se aprende os limites, os valores, a cultura, o certo e errado, etc. Poderia escrever horas sobre isso, mas hoje quero focar na importância de impor limites desde bebê! 
Alguns autores possuem livros com valiosas dicas sobre o assunto, sendo  mais "popular" o psiquiatra Içami Tiba, mas tantos outros também orientam os pais em tarefas diárias para impor limites.
Quando falamos nesse tema, necessariamente precisamos falar em regras, pois são estas um instrumento valioso de aprendizagem. Dessa forma, as atividades como dormir, o banho, a alimentação, precisam seguir um horário e não apenas para organização da vida da mãe. Quando a criança já possue capacidade de compreensão, ao brincar devemos ensiná-lo a guardar os brinquedos, assim como escolher com o que quer brincar, e não pegar a prateleira toda. Solicitar tarefas aos pequenos também deve ser seguido ao seu tempo, ou seja, determine hora para ser concluída, como arrumar a cama, fazer a lição de casa e até mesmo brincar.





Um outro cuidado muito importante e o mais incomodo são as nossas reações referentes à birras! Realmente deve ser muito chato ouvir uma criança pedindo incasavelmente ou um choro após uma resposta negativa para seu desejo, por isso, antes de negar alguma coisa pense bem, pois depois de pronunciada a palavra, NÃO DEVE VOLTE ATRÁS! O NÃO deve ser inegocíavel, por isso muita cautela ao negar alguma coisa! Se voltar atrás repetidas vezes, ele aprenderá que suas decisões podem ser negociáveis!
Nos primeiros dias de vida, o choro do bebê deve ser acompanhado de uma certa angústa da mãe, porém, já nessa etapa é importante não retirar a criança imediatamente do berço. Inicie a aproximação com conversa, com carinho, cuidado para que aos poucos e com o seu desenvolvimento ele compreenderá que será atendido. Esse comportamento já irá ajudar a criança a tolerar a famosa FRUSTRAÇÃO!
Os papéis devem ser muito bem definidos, ou seja, quem é a mãe, quem é o pai e quem é o filho. Essa delimitação é para que a criança compreenda que existe uma autoridade, um responsável, mas que isso não seja confundido com autoritarismo! Olhe nos olhos da criança quando precisar explicar suas atitudes e use como recurso o castigo! Esse castigo não é trancá-lo em um quarto ou colocá-lo sentado achando que irá refletir sobre seus atos, mas "tire" um brinquedo preferido, um desenho, por um período suficiente para sentir falta e não para acostumar a ficar sem. Uma orientação importante é explicar o porque do castigo e depois o porque da retirada do mesmo e nunca ameaçar com coisas que não poderá cumprir, por exemplo, dizer que nunca mais sairá de casa!!! MENTIRA NÉ!!! kkkk.


 


Parece simples falar, simples fazer, mas eu, como uma futura mãe, confesso ter muito medo em não dar conta dessa simplicidade! Não estamos falando de um brinquedo que deverá ser programado, mas de uma criança que precisamos ensinar a conviver em sociedade e que para isso, a frustração fará parte deste aprendizado!! Penso ser a tarefa mais difícil, porém mais gratificante! 
  
Não quero culpar a família pelas escolhas dos filhos, pelos caminhos tortuosos que eles escolherem, mas quero aqui RESSALTAR, a responsabilidade da família em impor limites, na maioria das vezes através de regras tão simples, que por sua simplicidade acabam passando despercebida!
É sobre a difícil arte de EDUCAR  que estamos falando!!! Nisso eu parabenizo minha mãe e todas aquelas que conseguem cumprir seu papel com amor, dedicação e até mesmo com erros!!
Beijos
Milene

Candidíase: mais comum do que imaginamos!


publicado por Milene S. Mocheuti Tassi em

Sem comentários

Olá amigas...

Todas nós sabemos, ou pelo menos deveríamos saber, que a visita anual ao ginecologista é essencial para a prevenção e diagnóstico de possíveis problemas! Mas entre uma consulta e outra, podem acontecer intercorrências, que fazem com que a visita ao médico seja antecipada, e uma destas é a Candidíase.

Segundo a Secretaria Estadual de São Paulo, 60% de mulheres que procuram o Hospital Pérola Byington (Centro de Referência em Saúde da Mulher) apresentam diagnóstico de Candidíase e ao ler essa notícia, achei que deveria ser um assunto para ser postado no nosso blog, com o intuito de desmistifcar o problema.

Algumas pessoas podem ter conhecimento do tema , já que se trata de um problema comum, de fácil tratamento e sem maiores complicações, porém, para muitas, ainda pode ser desconhecido.

A Candidíase "é o nome que se dá a infecção fúngica (micose) causado pelas espécies de Candida. O acometimento mais conhecido é a infecção vaginal, chamada de vulvovaginite por cândida. A espécie mais comum é a Candida albicans, é considerado um membro normal da flora gastrointenstinal e genitourinária dos humanos. A maioria das pessoas são colonizadas por cândida e nada apresentam. Porém, qualquer desequilíbrio na flora local ou no estado imunológico do paciente, pode levar esse fungo a se proliferar e invadir tecidos, causando a candidíase." (http://www.mdsaude.com/2009/01/o-que-e-candidiase.html). Os sintomas mais comuns são ardência ao urinar, coceira na vulva e no canal da vagina, dor nas relações sexuais, podendo ser acompanhado de um corrimento branco.

Os principais fatores que podem contribuir para o desenvolvimento da Candidíase são: uso prolongado de antibióticos, estresse, alergias, biquine molhado (pasmem vocês!), diabetes, genético ( algumas mulheres apresentam alterações genéticas e na mucosa vaginal que predispõem a infecção fúngica, independente de outros fatores de risco) e níveis elevados de estrogênios.

É importante ressaltar que ela não é uma doença transmitida sexualmente, porém, o processo de inflamação pode "facilitar" o contagio de outras DSTs como o HIV (aids).

O tratamento é feito com uma dose de antifungo e/ou creme vaginal, e alguns casos o parceiro também deverá fazer uso do medicamento.

Segundo a ginecologista Iara Linhares (em http://www2.uol.com.br/assuntodemulher/esp_vag_06.htm) alguns hábitos podem ser úteis para quem tem problemas de repetição de candidíase, evitando o uso de papel higiênico perfumado, absorventes internos e, se praticar atividade física com regularidade, usar malhas e calcinha de algodão.

Se você apresentar alguns destes sintomas descritos acima, procure o ginecologista, pois ele é o único capaz de diagnosticar com exatidão e preescrever a medicação adequada!!

Vamos nos cuidar mulheres!!!!

Links: http://www2.uol.com.br/assuntodemulher/esp_vag_06.htm
http://brasil.babycenter.com/pregnancy/infeccoes/candidiase/
http://www.mdsaude.com/2009/01/o-que-e-candidiase.html

Beijos
Milene

Se conselho fosse bom...


publicado por Vivi Tassi em

Sem comentários









Quem de vocês nunca ouviu esse ditado, que diz: "se conselho fosse bom não seria dado, mas vendido". Noooosssaaa, váaaarias vezes, kkk!!!

Mas mesmo assim, eu, como uma capricorniana teimosa que sou, e passando por algumas experiências que me fizeram crescer, resolvi colocá-las sobre a mesa, ou melhor, o papel, e dividí-las com vocês.

Talvez não sirva para as mulheres que ainda não tem filhos, mas de verdade, acredito que até mesmo para elas servirá de alguma coisa, afinal, a maioria de nós sonha com esse momento.

Desde que engravidei tive muitas dúvidas, normais eu acredito, estando nesse estado. Eram do tipo: será que meu filho nascerá saudável? Vou sentir dor no parto? Cesária ou normal? Mas a pior de todas, e que imagino aflija a maioria das futuras mamães é: será que vou saber cuidar do meu filho? Por que gente, dá um medo quando pegamos nos braços um ser tão pequenino, e pior, que depende de nós pra tudo.


Mas posso falar? Não é nenhum bicho de sete cabeças e pelo contrário, pode ser mais leve e suave do que imaginamos, só bastam algumas atitudes simples, que incluem em primeiro lugar, segurança, aliás, nesse caso é essencial para cuidarmos do bebê. E posso dizer por experiência própria que se tivermos esse sentimento dentro de nós, se nos sentirmos seguras para exercer essa tarefa, a de mãe, e acreditarmos que não vamos cometer nenhum engano, tudo fica mais tranquilo.

Depois dessa nossa atitude de sermos seguras perante a maternidade, 


vem em segundo lugar, o pedir e mais importante ainda, aceitar ajuda. Não importa de quem, mãe, irmã, tia, sogra, o primordial é aceitar o que elas falam. Para mim, a ajuda dos meus pais, sim, porque acreditem, meu pai também ajudou muito, foi de extrema importância, e até hoje, sigo a linha de cuidados que eles me ensinaram, porque acredito nela e sei que estou fazendo o melhor ao meu filho.

Agora meninas, não adianta pedir ajuda, e não acreditar no que essa pessoa te ensina. Confie, porque nesse caso, a experiência dos que já passaram por isso, vale mais do que qualquer ponta de desconfiança.


E o por último, questione.

Todas as minhas idas ao pediatra, e o Theo já está com 2 anos e 4 meses, são acompanhadas de uma vasta lista de perguntas, que me ajudam a tirar dúvidas e saber o que fazer. Me lembro até hoje da primeira visita dele ao pediatra, lembro inclusive que perguntei que roupa colocar nele, fazia muito calor, e ele era recém nascido, sempre ouvi dizer que eles precisam ficar agasalhados, e o médico quebrou todos os tabus, dizendo que meu filho tinha a mesma sensação térmica que eu. E vou dizer, não me arrependo de seguir todas as orientações dele.

Hoje, o Theo, é uma criança saudável, passa quase todo o dia de calor de cuequinha ( sim, ele já está fazendo xixi no banheiro), e só agasalho quando é necessário. Come de tudo, principalmente arroz e feijão, legumes e até mesmo peixe e verduras. Ah, e as frutas são a sobremesa preferida dele. Cai e levanta sozinho, brinca com nossos cachorros, dança, canta. É alegre por demais,kkk!!!

Entendam amigas, criança não é bibelô, elas tem que aprender o que podem e o que não podem fazer, e nosso dever é ensiná- las. Vamos deixá- las mais a vontade para descobrir o mundo que as cerca, nada de super proteção, isso não faz bem, e não sou eu que estou falando, qualquer pediatra diria a mesma coisa.

E tão bom ver o desenvolvimento dos nossos filhos, faz parte da história deles, pensem nisso!!!



Esse é o meu Theo, a criança mais alegre e feliz que já conheci,kkk!!! Eh mãe coruja!!!

Beijinhos,

Viviane

Um chá de sensualidade


publicado por Vivi Tassi em

1 comentário





Olha eu aqui, contando pra vocês, mais uma experiência minha, e tirando algumas dúvidas sobre um assunto muito atual, e que nos interessa, o chá de lingerie,kkk.


Fui convidada para uma reunião feminina dessas, confesso que antes só tinha participado dos tradicionais chá de cozinha e chá de bebê, e achei interessante pesquisar na internet, para dar algumas dicas, à alguém que como eu, vá participar de um chá de lingerie, e não tem idéia do que comprar.

O Chá de Lingerie, é uma reunião onde ao invés de utensílios domésticos (balde, rodo, vassoura, panos de prato, escorredor de arroz, abridor de latas,kkkk), a noiva recebe peças íntimas, uiiiii, calcinhas, soutiens, baby dolls, camisolas, cinta liga, lingerie sexy, e claro, tudo o que nossa imaginação inventar como os brinquedos eróticos,kkkk. Ah! não preciso nem dizer que essa é uma festinha exclusivamente feminina.


Aliás, para comprar um presente desses, tão íntimo, é preciso tirar da noiva algumas dicas, como se ela é moderna, se gosta de peças ousadas, se quando a questão é sexo, com ela vale a pena ousar. Senão imaginem o carão,kkkk, levar uma calcinha fio dental, para uma noivinha recatada, kkkk, quem vai passar vergonha é você!!!

Geralmente o chá de lingerie, deve ser organizado pela própria noiva, claro que amigas íntimas podem oferecer ajuda, afinal, o casamento deixa qualquer mulher louca e atarefada. Ela precisa colocar no convite a cor preferida e o tamanho correto, e pode também fazer uma lista dos ítens que gostaria de ganhar e deixar em alguma loja ( como a lista de presentes), lembrando de não pedir peças caras.


O local da festa deve ser onde todas as convidadas possam ficar a vontade, para aproveitar as brincadeiras, que hoje em dia, podem ser feitas por profissionais contratados, como as professoras de dança do ventre, professoras de streep tease ou uma personal sex trainer, e vale inovar na decoração, com balões em formato de coração, flores flutuando em recipientes com água, ou se for a noite, velas. As cores mais usadas são o rosa pálido com preto, os vários tons de vermelho, e o branco com maçã verde.

Para servir, petiscos que lembram romance, docinhos em formato de coração, mini sanduíches, canapés e biscoitos em formatos delicados, e para beber, água, refrigerante, vinho e até mesmo ponche.

Bom, dadas as dicas, aí vem a minha experiência,kkk!!!

Pensando em inovar, convidei umas amigas para ir à um sex shop, e fiquei encantada com tudo o que vi, kkkk, no bom sentido! 

Tem "brinquedos" de todos os tipos, lingeries de todas as cores, gel de massagem, bolinhas aromáticas, velas que viram óleo corporal, vibradores, ligas, cinta ligas, meias, chicotes, algemas, cassetetes, roupas sado, fantasias,camisolas, baby doll, ufaaa, e finalmente as mais simples, as calcinhas fio dental, que aliás só tem um fio mesmo,kkkk.

Gentem, e o movimento de uma loja dessas, vocês não imaginam, ou só eu mesmo, no auge do meu recato, kkkk, não acreditava que tanta gente recorria a esses produtos para animar a relação.


Claro que encontrei um presente pra noiva do chá de lingerie que vou participar, e claro que eu e minhas duas amigas, trouxemos algumas coisinhas pra nós também, kkkk, mas fiquem calmas, não vou contar pra vocês o que e nem como usar,kkkk. Isso, terão que descobrir sozinhas, ou melhor, acompanhadas dos seus companheiros, e fazendo uma visitinha à um sex shop. Se livrem de todo e qualquer preconceito e  invistam em vocês e na relação, vai valer a pena!

Beijinhos,

Viviane